Qual Seu Valor?

Ando indignado com os (des)  valores que os homens dão a si mesmos.

Valores morais. Não valores  de mercadorias. Não somente os políticos e as carnes  estão podres, mas  grande parte da sociedade também está.

Mais de uma vez, alguém me procura relatando que seu namorado (a) tem outra pessoa (outro relacionamento), e diz  não saber o que fazer...

A minha primeira resposta é: Se você não sentir  ciúmes e não tiver amor próprio,  continue a relação. Imediatamente vem a indignação.

Como assim não saber o que fazer?

Geralmente,  namora-se para conhecer o outro. Seu caráter, sua personalidade e,  só depois firmam compromisso. Hoje, não mais! Hoje se fala muito do relacionamento aberto. Isto  para  mim tem outros conceitos:  de falta de caráter e de compromisso. Falta de amor próprio e ao  próximo.

Como posso namorar e construir uma relação onde a base é construída assim? Onde o outro ou a outra já demonstra um desvio de caráter?

O meu conselho é VALORIZE-SE!

Não somos mercadorias, porém,  utilizo de um exemplo afim de facilitar o entendimento:

Pense em uma mercadoria que você queira muito. Aproxima-se de quem a tem, perguntando o quanto custa. Caso haja interesse de negociar, o dono da mercadoria colocará o preço que avalia justo. Ainda que esteja caro. Tal valor poderá ser negociado, parcelado ou você pode desistir de comprar. O preço está acima do que você pode ou queira pagar. Certamente,  a mercadoria permanecerá com o vendedor ou outra pessoa, pagando o preço cobrado, a levará.

Voltemos a você...

Você também tem valor.

Seus sentimentos, caráter, história, família, personalidade, beleza, gostos e muitas outras coisas... pertencem somente a você e com  VALOR INEGOCIÁVEL... ou ainda pensa que não tem?

Estes valores foram construídos com muitos esforços pelos seus pais, por sua família, por pessoas que cooperaram no seu crescimento e por você mesmo.

Cada um de nós estabelece seu valor. Se uma pessoa se interessar por você, que “pague” o valor pedido ou entre em negociação. E lembre-se, pois é muito importante:  você é peça rara, é exclusivo (a), você é único(a).

Claro que não  estou falando de  valor financeiro como mercadoria. Refiro-me a exigências, a quais  valores que o interessado precisará ter e dar...

Não desvalorize seu amor, sua história, seu caráter, sua construção de vida. Repetindo:  você é especial, exclusivo(a).

Quem quiser que pague o preço... O combinado não sai caro... valorize-se!