Não Aguento Mais Nossas Brigas

Inúmeros casais continuam brigando mesmo depois de tanto tempo de casados, por quê?

Essa resposta é fácil. Nunca conseguiram entrar em acordo! A maioria das brigas se dá pelos mesmos motivos. Por exemplo: Ele nunca me ajuda em casa, sempre deixa as coisas jogadas. Ela sempre reclama que não faço nada e assim por diante.

Alguns homens ainda vivem na pré-história, não concordam de forma alguma de dividir tarefas domésticas. E as algumas mulheres também, porque vivem com esses homens e fazem tudo para eles. O que mais me chama atenção é que apesar de fazerem tudo, sempre reclamam e nunca estão felizes e com passar dos anos fica cada vez mais difícil a ponto de se separarem depois de 30 ou 40 anos de casados e questionamos como pode?

A questão é simples, nunca entraram em acordo e sempre fazem as mesmas coisas esperando que o outro mude.

Por que EU não mudo? Porque mudar requer um esforço grande de minha parte.

A mudança geralmente tem que partir de mim! Sempre esperamos que o outro mude, e sempre minhas expectativas são frustradas.  Muitos casais não se expressam de forma clara e inteligente. Não param para negociar algo que incomoda. Acham que o companheiro ou companheira tem uma bola de cristal e que vai descobrir o que pensa.

É necessário desenvolvermos habilidades inteligentes para transformar conflitos em aprendizados, crises em experiências, perdas em ganhos, frustações em afetos, enfim, distanciamento em entrelaçamentos.

Aumentar o tom de voz, dar sermões, criticar, comparar, fazer chantagens, punir, emburrar ou ficar sem conversar são estratégias toscas e ineficientes que utilizamos em nossas relações.

Continuaremos casados e reclamando do casamento ou daremos o primeiro passo para que esse casamento seja satisfatório e eu seja feliz?

Conheci um casal, já de idade, que vivia em pé de guerra. Tudo parecia ser implicância. Brigavam o dia todo por pequenos detalhes, até que um dia ele veio a falecer. Hoje a velhinha vive chorando de saudade e eu sempre me pergunto, saudade dele ou das brigas?

Você conhece alguém assim? Você está assim no seu casamento ou até mesmo antes de casar?

Se estiver recém-casado tome cuidado para não acostumar com as brigas rotineiras e de repente chegar a este ponto. Implicar por pequenos detalhes faz o casamento ficar monótono e chato. Invista na alegria, tempo de qualidade.

Augusto Cury, afirma que “casais inteligentes se amam com um amor inteligente e não apenas com sentimento ardente. Casais inteligentes tem uma mente madura, atentam ao essencial, à grandeza do afeto, à notoriedade do diálogo, ao espetáculo do respeito mútuo, enquanto casais desinteligentes valorizam o trivial, brigam por tolices, dissipam sua energia emocional com pequenos estímulos estressantes, são rápidos em se acusar e lentos para se abraçar”.

Toda mudança concreta precisa de estratégias, uma nova agenda, caso contrário fracassaremos novamente. Precisamos reconhecer os nossos erros, mapeá-los e ter a sinceridade de pedir perdão por nossas fraquezas.

O casamento não deve ser uma praça de competição, como a pós-modernidade vem incentivando, mas uma praça de generosidade e de investimento mútuo.

Precisamos entender o outro e cooperar. Dividir não só tarefas, alegrias, angústias, sentimentos, sonhos, projetos, necessidades e dificuldades e nos ajudar sempre. Se podemos simplificar, por que complicamos?

Cada dia mais o casamento vem perdendo o sentido e muitos jovens não tem o desejo de se unirem e construir uma família, os motivos são diversos, mas grande parte são os exemplos que temos em família.

Conheça bem sua origem e de seu cônjuge, façam um mapeamento das coisas positivas e negativas de cada família e a partir daí construa um casamento sólido e bem estruturado, tenho certeza que terás felicidade.